Programa Jovem Empreendedor

Programa Jovem Empreendedor

O programa Jovem Empreendedor do DiamondsClube tem o objetivo de forma novos Empreendedores no Marketing de Relacionamento, ensinado os princípios e oferecendo cursos e treinamentos gratuitos e acesso a uma oportunidade de trabalho digna que permite a todos flexibilidade de horário, permitindo ao Jovem Estudar, Trabalhar e Desenvolver o Marketing nas horas vagas.

O que é Marketing de Relacionamento?

O Marketing de Relacionamento (Network Marketing ) é um modelo de negócios amplamente conhecido e comentado pela mídia nos países desenvolvidos como Japão e EUA, porém no Brasil ainda se encontra em fase de desenvolvimento. Podemos dizer que em outros países desenvolvidos a indústria está na fase de um jovem adulto e no Brasil é ainda uma criança, porém é inegável que este modelo representa uma grande inovação e tendência mundial na distribuição de produtos e serviços. Com baixo investimento, você poderá ter um retorno, tão grande quanto a uma franquia, ou negócio tradicional.
Como no Brasil este modelo de negócios ainda está em uma fase de aceitação e desenvolvimento assim como em outros países da América Latina, podemos perceber um grande detalhe para o qual as pessoas devem se atentar ao conhecer o modelo. Primeiramente o próprio nome NetWORK Marketing já diz. WORK, palavra em inglês que significa trabalho. Nada vem de graça, a proposta aqui não é a de dinheiro fácil e rápido sem nenhum esforço, se alguma empresa de Network Marketing estiver lhe prometendo isso fique de olho e se for o caso caia fora. Assim como outros modelos de negócios próprios tradicionais como o franchising, por exemplo, é preciso muita seriedade e trabalho sério para que se obtenham resultados expressivos, e para que todos aqueles níveis do plano de marketing sejam atingidos.

Mas o grande detalhe que muitas vezes atrapalha o desenvolvimento do negócio como um todo é que as pessoas não têm essa visão de que Marketing de Relacionamento é um modelo de negócio próprio e que deve ser encarado como tal. As pessoas acreditam que só por que não têm que abrir uma loja física, funcionários, fazer um grande investimento inicial, elas não tem que se dedicar como se fosse um grande investimento. No subconsciente elas pensam: “Como investi apenas R$ 75 no meu negócio, se não der certo não será uma grande perda…”. E com isso acabam se dedicando muito pouco ou quase nada ao negócio, encarando apenas como uma pequena renda extra, um negócio pequeno pelo pequeno investimento inicial que fizeram.

Concluindo esse raciocínio, devemos ter em mente que o Marketing de Relacionamento é um GRANDE negócio onde se faz um PEQUENO investimento, e deve ser encarado como tal. Imagine-se investindo 500 mil reais como se estivesse abrindo uma franquia. Você iria se dedicar ao máximo para fazer o negócio gerar lucro não é mesmo? Então utilize esta mesma dedicação ao assinar o contrato de distribuição da empresa de network marketing, pois o lucro que este modelo de negócios pode gerar é muitas vezes bem maior que de uma franquia. Caso entenda e encare o modelo como um negócio sério, poderá criar uma máquina geradora de renda residual que multiplicará e crescerá exponencialmente. E este é o objetivo e a meta de todos os profissionais sérios desta indústria, criar esta grande e sólida rede de distribuição de produtos e serviços, que irá gerar renda residual por um bom tempo mesmo após o término do desenvolvimento do negócio.

Diferencia-se do chamado “esquema em pirâmide” por ter a maior parte de seus rendimentos oriunda da venda dos produtos, enquanto, na pirâmide, os lucros vêm, apenas ou maioritariamente, do recrutamento de novos associados . Nos Estados Unidos, uma forma de diferenciar os dois sistemas é a chamada regra dos 70%: se a empresa tem 70% ou mais de seu rendimento advindo dos produtos, é marketing em rede, senão é pirâmide.

Conheça a Melhor Oportunidade de Marketing de Relacionamento do Brasil

1 – Escolha o patrocinador certo. Isto é crucial para o seu sucesso, é ele que diretamente vai te ajudar a treiná-lo para o seu sucesso. Um Bom Patrocinador, além de oferecer suporte inicial, oferece cursos e treinamentos, para que o iniciante possa se desenvolver o mais rápido possível.

 

2 – Escolha a Empresa certa para você. Faça alguma pesquisa para determinar qual empresa é melhor para você pessoalmente. Uma boa empresa deve ser afiliada ao DIAMONDSCLUBE, seus produtos devem ser registrados nos órgãos reguladores (ANVISA, IMETRO, etc)

3- Saiba que isso vai levar tempo. Marketing de Relacionamento, Networking Marketing  ou MLM (Multi Level Marketing) é o negócio real e não um esquema de enriquecimento rápido.

4 – Tenha um planejamento. Literalmente, escrever o seu plano para a construção de seu negócio. Você terá mais sucesso do que aqueles que não o fazem.

5- Estude, se capacite, lei livros dos empresários bem sucedidos, apreenda os segredos de cada um.

6 –  porquê é o mais importante?. Porque você está se envolvendo? Melhor estilo de vida ou liberdade ou segurança financeira?. Agora, defina o que isso significa para você.

7 – Defina suas Metas, por escritas

 

8- Participe das reuniões e dos treinamentos, seja presencial ou on line

9- Estude bem os produtos e serviços de sua empresa

10 – Fale de seus produtos e de sua oportunidade sempre que encontrar alguém.

11 – Tenha um sistema de recrutamento e de contatos, para que não fique sem perspectivas

12- Aproveite as viagens.
Venha Aprender e Trabalhar com Webert Maximiano, Consultor e Coach do DiamondsClube, conheça todos os detalhes da oportunidade www.diamondsclube.com/webert

 

 

Capítulo I

O empreendedor

“A coragem é a primeira qualidade humana, pois garante todas as outras.”
Aristóteles
 
A palavra empreendedor (entrepreneur), originada do francês, é usada para descrever uma pessoa que tem, acima de tudo, a necessidade de realizar coisas novas.
Os conceitos de administração normalmente estão associados às organizações, ao contrário do conceito de empreendedorismo, que sempre se associa à pessoa que faz acontecer.
Segundo David McClelland (*), as pessoas podem ser divididas em dois grandes grupos: uma minoria que, quando desafiada por uma oportunidade, está disposta a trabalhar com determinação e afinco para conseguir o que quer, e uma grande maioria que não se importa tanto assim. McClelland afirma que as pessoas que têm necessidade de realizar se destacam porque, independentemente de suas atividades, fazem com que as coisas aconteçam.
O empreendedor, com sua aguçada percepção, está sempre observando recursos escassos na região onde atua, recursos que não estejam sendo devidamente explorados ou até mesmo que não tenham sido alvo da atenção de ninguém, sendo, no entanto, uma boa fonte de oportunidade de negócio.
Em resumo, podemos dizer que o empreendedor identifica uma oportunidade e cria um meio para aproveitá-la, assumindo os riscos que qualquer atividade empresarial oferece.

 

Por que os empreendedores são importantes papara a sociedade?

Destacamos três pontos fundamentais para a compreensão da importância dos empreendedores em nossa sociedade:

O empreendedor contribui para a criação de emprego e crescimento

Cada vez mais são as empresas novas e pequenas, e não as grandes, as maiores criadoras de novos postos de trabalho. Os países com maior aumento nas taxas de iniciativa empresarial tendem a ter um maior decréscimo nas suas taxas de desemprego.
Durante a década de 1990, as pequenas empresas contribuíram de forma considerável para a criação de empregos.
Dados do Ministério do Trabalho mostram que, de 1995 a 2000, os empreendimentos de pequeno porte foram responsáveis pela criação de 96% dos novos postos de trabalho em todo o país. Nesse mesmo período, o número de empresas brasileiras aumentou em 477,4 mil, graças, sobretudo, aos pequenos empreendimentos.
Das unidades criadas, 96,36% eram microempresas, 3,4% pequenas, 0,2% médias e apenas 0,04% grandes. Atualmente, as empresas de pequeno porte empregam cerca de 67% do total de trabalhadores com carteira assinada.
As nossas pesquisas sugerem que a iniciativa dos empreendedores contribui positivamente para o crescimento econômico, ainda que o crescimento do PIB seja influenciado por outros fatores.


A iniciativa empreendedora estimula o desenvolvimento do potencial pessoal

Uma ocupação não constitui apenas um modo de ganhar dinheiro; as pessoas utilizam outros critérios nas suas escolhas relativas à carreira, tais como a segurança, o nível de independência, a variedade de funções e o interesse pelo trabalho.
Um estudo britânico mostrou que, além das motivações materiais (dinheiro e status social), as pessoas escolhem ser empreendedoras como meio de satisfação pessoal (liberdade, independência e desafio).
Tornar-se empreendedor, do ponto de vista social, pode ser um meio para atingir uma posição melhor para si mesmo.

A capacidade empreendedora e os interesses da sociedade

Os empreendedores são os condutores da economia de mercado cujos resultados
Manual do Jovem Empreendedor permitem que a sociedade disponha de riquezas, postos de trabalho e variedade de escolha para seus consumidores.
Nesse sentido, em resposta às expectativas crescentes da sociedade, relativas aos impactos da atividade empresarial, muitas empresas adotaram estratégias e formas de responsabilidade social, o que implica a inclusão voluntária de aspectos sociais e ambientais nas suas respectivas operações, assim como nas suas relações com a sociedade. Tais empresas reconhecem que o comportamento empresarial responsável serve de base para seu sucesso.
Esse comportamento responsável pode incluir, por exemplo, o compromisso de produzir de modo pouco agressivo para o meio ambiente, pois respeita as preocupações dos consumidores. Além disso, a iniciativa empreendedora pode também ter um papel importante na prestação de serviços eficientes de saúde, educação e segurança social.

Empreendedores decidem com base em expectativas

Há um estudo realizado na Austrália por Mazzarol Et Al (*) (1998) que identifica seis fatores de motivação que nos sinalizam com que expectativas os empreendedores decidem:
Os empreendedores decidem com base em Criatividade: desejo de aproveitar talentos, ter um emprego interessante e criar alguma coisa para a realização de um sonho;
Os empreendedores decidem com base em Autonomia: desejo de trabalhar no local e horário de sua escolha e ser o seu próprio patrão;
Os empreendedores decidem com base em Status: seguir o exemplo de outra pessoa ou a tradição familiar, e desejo de reconhecimento social;
Os empreendedores decidem com base em Oportunidade: desejo de aproveitar uma oportunidade de mercado identificada, ou mesmo, antecipar um cenário futuro positivo;
Os empreendedores decidem com base em Dinheiro: manter rendimento e ampliar seus ganhos.

É necessário que você, jovem empreendedor, tenha em mente quais são as suas expectativas futuras para poder tirar o máximo de suas competências, capacidades e rede de relacionamentos.
Quando uma pessoa tem capacidade empreendedora, ou seja, tem potencial, competência e vontade, pode transformar uma simples oportunidade em um grande negócio. Portanto, mãos à obra!
O estudo do empreendedorismo pode ser desenvolvido com base nas características psicológicas, distintivas dos empreendedores, visando à definição do seu perfil.
Deste trabalho concluiu-se que há um conjunto de competências, normalmente relacionadas aos empreendedores e que contribuíram para o seu sucesso na atividade empresarial, a saber:

Busca de oportunidade e iniciativa:

Esta característica refere-se à capacidade de se antecipar aos fatos e criar novas oportunidades de negócios, desenvolver novos produtos e serviços e propor soluções inovadoras.

Persistência:

Enfrentar os obstáculos decididamente, buscando o sucesso a todo custo, mantendo ou mudando as estratégias de acordo com as situações.

Correr riscos calculados:

Disposição de assumir desafios ou riscos moderados e responder pessoalmente por eles, ou seja, ter coragem para enfrentar desafios, ousar a execução de um empreendimento novo e escolher as melhores alternativas, baseando-se no seu conhecimento e em sua determinação.

Exigência de qualidade e eficiência:

Decisão de fazer sempre mais e melhor, buscando satisfazer ou superar as expectativas de prazos e padrões de qualidade.

Características do empreendedor

Comprometimento:

Faz sacrifício pessoal ou despende um esforço extraordinário para completar uma tarefa; colabora com os subordinados e até mesmo assume o lugar deles para terminar um trabalho; se esmera para manter os clientes satisfeitos e coloca a manutenção do cliente, a longo prazo, acima do lucro a curto prazo.

Busca de informações:

Busca pessoalmente obter informações sobre os clientes, fornecedores ou concorrentes; investiga pessoalmente como fabricar um produto ou prestar um serviço; consulta especialistas para obter assessoria técnica ou comercial.

Estabelecimento de metas:

Assume metas que representem desafios e tenham significado pessoal; define com clareza e objetividade as metas de longo prazo; estabelece metas mensuráveis de curto prazo.
Não basta, porém, apenas possuir as características empreendedoras, apesar de serem importantes.

É preciso tomar decisão!

Estudo realizado a respeito do processo de tomada de decisão conclui que os empreendedores decidem com base em expectativas, mais do que com base em fatos reais.
Esse fator explica o motivo pelo qual o empreendedor decide criar uma empresa ou mesmo introduzir uma inovação tecnológica em que, muitas vezes, é difícil definir o mercado e efetuar estimativas razoáveis de vendas.
Existe um provérbio árabe que diz:
“É o oásis que move a caravana.”
 
No caso do empreendedor, podemos dizer que são as suas expectativas que o fazem ser o que é – grande realizador.

Capítulo II

A idéia

               “Tente por três vezes algo que você nunca fez. Primeiro, para superar o medo.
                              Segundo, para aprender. Terceiro, para saber se gosta.”
                                                            Nirgel Thompsom

Como ter uma idéia de negócios?

Há, basicamente, duas maneiras pelas quais você, jovem empreendedor, pode criar idéias de negócios: gerar a sua própria idéia ou desenvolver a de outro.
A segunda é muito mais comum, porque, na maioria dos casos, é dar praticidade a uma idéia já desenvolvida.
É preciso que você tenha em mente que todas as pessoas e organizações possuem necessidades que são satisfeitas de formas diferentes. Se você puder dar a essas necessidades melhores respostas do que as atuais, certamente estará construindo uma grande oportunidade de negócios a ser aproveitada.

Lembrete: empreendedor é aquele que identifica uma oportunidade e cria um negócio para aproveitá-la, assumindo riscos que qualquer atividade empresarial oferece.

“Não importa o quão nova a idéia é, o que importa é o quão nova ela se torne.”
Elias Canetti

 Alguns caminhos para a geração de idéias de negócios

Um caminho para gerar idéias de negócios é você olhar para o seu atual patrão ou uma empresa já existente e se perguntar:
Eu posso, pelo menos, duplicar o que o meu empregador ou a empresa existente faz atualmente, ou atender a um mercado ainda inexplorado?
Existem algumas técnicas estabelecidas, tais como a visualização, brainstorming, análise morfológica e análise de negócios, que podem ser usadas para gerar idéias de negócios.

Visualização

A visualização é uma técnica usada com sucesso por muitos empreendedores para determinar os seus objetivos de longo prazo.
O processo consiste em sonhar acordado – visualizar uma imagem do seu próprio futuro. Ao fazer isso, perceba se esse futuro inclui a sua própria empresa. Se a imagem incluir, então como ela é?
A partir dessa visualização, descreva no papel essa idéia de negócio e comece a estruturá-la identificando o que você precisa fazer para concretizá-la.
A visualização é uma boa técnica para estabelecimento de metas a que você quer chegar.

Brainstorming – Tempestade de idéias

Esta técnica é bastante difundida. Usada adequadamente, permite o levantamento de várias alternativas para a geração de negócios. Portanto, deixe a sua imaginação fluir livremente e aproveite o que de melhor surge em termos de negócios viáveis comercialmente. Para trabalhar bem esta técnica, o ideal é que você forme um grupo de até 6 colaboradores e, claro, planeje a sessão com antecedência.

Análise morfológica

Esta técnica consiste em dividir o “problema” complexo em seus vários elementos ou componentes.
Tomemos como exemplo os produtos de cuidados com o cabelo: xampus, tinturas e gel – para citar apenas três.
O mercado potencial para esses produtos pode ser segmentado por idade: adolescência, faixa de 20-40 anos e acima de 40 anos.

Combinando os três tipos de produtos e os três tipos de segmentos, temos nove idéias de como explorar os produtos para cabelo.

Análise de negócios já existentes

Quando assumimos melhorar negócios já existentes, é preciso olhar para eles e nos perguntarmos: posso fazer isso? Podemos fazê-lo melhor? Você provavelmente chegará à conclusão de que aprimoramento de qualidade, simplificação de produtos e serviços, melhor atendimento ao consumidor, redução de custos ou mesmo melhor eficiência na produção e distribuição podem se transformar em ótimas oportunidades de negócio.
Por fim, um caminho é identificar as falhas do mercado, ou seja, brechas que não estão sendo atendidas por nenhuma empresa.
Um novo negócio sempre contém uma inovação, isto é, algo diferente do que se pratica no segmento ou na região onde pretende atuar.

O que é uma oportunidade de negócios?

A oportunidade, em termos práticos, pode ser definida como algo que alguém transforma em negócios lucrativos.

Como surgem as oportunidades de negócios?

As oportunidades de negócios surgem de muitas maneiras. Algumas pessoas têm o dom de identificar e transformar rapidamente idéias em produtos e serviços. Outros percebem como podem fazer dinheiro a partir de uma idéia que surgiu da leitura de um jornal ou de uma conversa com amigos.
O que observamos, no entanto, é que as oportunidades de negócios que os empreendedores identificam estão ligadas a experiências vividas. É muito raro que alguém tenha uma inspiração “do nada” e identifique uma nova oportunidade fora de seu campo de atuação.
Em outras palavras, as idéias para as oportunidades surgem do nosso próprio ambiente de trabalho e, geralmente, resultam da conexão de idéias aparentemente desconexas.
Regra geral: se você deseja desenvolver um novo conceito de negócios em um ambiente estranho, que não lhe é familiar, trabalhe de modo a aprender tudo a respeito do funcionamento desse negócio, a fim de que seja capaz de observar as conexões práticas do novo universo. Considere também a possibilidade de se associar a alguém que tenha o conhecimento específico que lhe falta.
Por fim, é importante ter claro que na busca de oportunidade, você não considere apenas a relação risco/retorno do negócio, mas também – e talvez com maior importância – os seus próprios objetivos.

Algumas características relativas às oportunidades

As oportunidades têm a ver com a criação de valor e não necessariamente com a redução de custos
Alguns empreendedores desenvolvem uma fixação de que os seus produtos devem ser competitivos em termos de custo.
A regra do jogo, no entanto, não está ligada a baixo custo. A questão sempre foi e sempre será a criação de valor para os clientes. Se vale a pena, os clientes pagam.
As oportunidades não são iguais para todos
É muito comum ouvirmos: “as oportunidades estão lá fora e simplesmente, acontecem”.
Não se prenda a essa visão!
As experiências com os empreendedores nos mostram que nem todos os indivíduos estão preparados para perceber uma oportunidade. As pessoas possuem modelos mentais que as tornam mais ou menos capazes de identificar e capturar oportunidades. A forma como cada indivíduo enxerga o mundo é diferente.
Deixe claro aos seus potenciais clientes o valor que seus produtos ou serviços vêm oferecer. Isso é muito mais do que apenas um preço mais conveniente.
O que isso significa para a sua idéia de negócio?
Significa que, apesar de você, jovem empreendedor, se preocupar com que alguém mais explore a “sua oportunidade”, ela não é necessariamente percebida como tal por outras pessoas, que podem não dispor das mesmas vantagens competitivas de que você dispõe.
Assim, não pense que, só porque alguém montou uma loja naquela rua que você percebia como ótima oportunidade de negócio, também você deveria abrir outra no mesmo local.

Nem todas as oportunidades são óbvias

Você já deve ter passado pela seguinte situação: encontra na rua um negócio parecido ou igual ao que você sempre imaginou e então surge aquela famosa expressão: “Eu tive a mesma idéia!”.

Saiba que o lucro de uma oportunidade de negócios sempre fica para aqueles que tiveram a iniciativa e assumiram o risco de explorar a oportunidade, e não para aqueles que apenas pensaram sobre uma oportunidade de negócio.
O pensamento criativo é maravilhoso, mas, se não leva à ação, é somente desperdício de energia. Portanto, tome a iniciativa!

As oportunidades não são necessariamente invenções dos empreendedores

Os empreendedores não são, necessariamente, grandes inventores. Muitos estão determinados a investir o seu tempo e energia na busca de alguma inovação tecnológica que lhes trará enormes lucros. Isso pode ser admirável e desejável, mas não é determinante.

Até quando se pode explorar uma oportunidade?

Nenhuma oportunidade dura para sempre.
Algumas oportunidades são passageiras e com uma duração limitada. Por exemplo: produtos baseados em sucesso de novelas ou ligados à moda. Em outros casos, uma oportunidade pode durar até o ponto em que outros empreendedores a percebam e transformem um negócio baseado em qualidade dos produtos para um negócio baseado apenas em custo.
Um exemplo de duração de oportunidades foi a “febre” de Kart in Door. Para os primeiros, foi uma ótima oportunidade de mercado. No entanto, com a entrada de novos empreendedores, o que era uma oportunidade de valor, passou a ser uma oportunidade baseada em custos.

A sua crença na oportunidade de negócios

Normalmente, é o lado mais emocional de uma oportunidade que faz a diferença entre o sucesso de um empreendedor e o fracasso de outro.

Somente você pode avaliar se uma oportunidade é boa ou ruim. Você gosta da oportunidade identificada? É o que você quer fazer? Você acredita nela? Esses fatores importam porque neles reside o seu nível de persistência em face de todas as dificuldades nas atividades empresariais.
Analise bastante a “oportunidade” para ter certeza de que ela não é uma miragem, fruto de sua imaginação. Converse com outras pessoas em que você confia. Aí pode estar a primeira diferença entre você ser um empreendedor de sucesso ou um aventureiro fadado ao fracasso.

Em breve capitulo3

Este conteúdo foi retirado do manual do jovem empreendedor feito pelo Sebrae, queremos ajudar o máximo de pessoas com a divulgação deste  conteúdo que pode ser baixado no endereço abaixo.

http://bis.sebrae.com.br/GestorRepositorio/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/A870285A676E3A598325729E004E3192/$File/NT000350A2.pdf

Obrigado por comprar na nossa loja Dispensar